festa

O Diálogo Estratégico para a integração da economia criativa no crescimento sustentável em Cabo Verde.

O objectivo, segundo o coordenador do CPE, Manuel Pinheiro, foi reflectir sobre a possibilidade de transformar a economia criativa no eixo fundamental do desenvolvimento da economia cabo-verdiana e recolher subsídios com vista à integração e interacção da mesma com outros sectores para a elaboração de instrumentos de implementação de políticas para as indústrias criativas e maximizar o seu potencial para um crescimento económico inclusivo e sustentável no país.
Sendo a criatividade um recurso “sem limite” que, ao lado da cultura, tem desenvolvido o turismo, considerado o sector “mais dinâmico” da economia do arquipélago, lembrou que a cultura é uma área que não sofre de crise, restando sim maximizá-la e integrá-la no processo de desenvolvimento e que não seja um aparente pobre da economia nacional.
Na opinião de Manuel Pinheiro, o que se deve fazer é “vender a cultura e a criatividade”, através das novas tecnologias de informação para dar um carácter mais científico e organizado ao sector, tendo em conta que o produto mais vendido de Cabo Verde, a nível mundial, é a cultura.
O Diálogo Estratégico para a integração da economia criativa foi orientado pelas brasileiras Lala Deheinzelin, especialista em Economia Criativa, Desenvolvimento Sustentável e Futuros, e Lídia Goldenstein, professora e consultora económica.